Atividade reflexão-ação

A pobreza nos currículos

Caro(a) cursista, você chegou à terceira Atividade reflexão-ação de nosso curso. As discussões do módulo serão mobilizadas neste momento de análise e de elaboração de propostas para os currículos.

O objetivo dessa atividade é a produção de uma proposta de ajuste ou reelaboração curricular a partir de uma retomada de sua produção nas atividades reflexão-ação anteriores, à luz das discussões realizadas neste módulo de estudos. Para que este objetivo seja alcançado, a atividade está dividida em três etapas.

Esteja atento(a) para instruções do(a) professor(a)-tutor(a) sobre possíveis fóruns associados a esta atividade.

 

1. Retomada das atividades reflexão-ação anteriores

Recupere as conclusões que você produziu nas atividades reflexão-ação anteriores. Esse diagnóstico pode ser feito com o auxílio dos resultados obtidos nas outras atividades de reflexão-ação, em particular, com a listagem dos casos de violação de direitos humanos registrados na escola ou em contextos mais abrangentes (Módulo II) e a descrição do território que circunscreve o espaço escolar (Módulo III).

Faça uma leitura desse material considerando a seguinte questão:

A partir dessas conclusões, como a pobreza deveria aparecer nos currículos?

Escreva uma reflexão sobre essa questão e envie ao seu tutor. Nesta etapa inicial da atividade, não se preocupe muito com detalhes e análises aprofundadas – estas serão desenvolvidas na etapa 3. No entanto, esta primeira etapa é importante para a retomada de um diagnóstico da forma como a pobreza se manifesta no contexto em questão, tendo em conta que as carências podem se manifestar de maneiras diferentes em circunstâncias específicas – por exemplo, a violência policial a que estão submetidas crianças da periferia de uma grande cidade pode não ser muito relevante entre crianças do campo, da mesma forma que essas podem sofrer com a distância de um centro de saúde de uma forma que talvez não atinja tanto àquelas.

 

2. Análise curricular

Agora é o momento de você fazer uma análise curricular. Apesar da concepção ampla de currículo adotada no módulo, considere para este momento inicial da etapa 2 da atividade um dos documentos curriculares existentes para a análise. Recomendamos que essa escolha seja feita levando em conta as suas atividades atuais, assim, se você trabalha em uma Secretaria Estadual de Educação, por exemplo, você pode analisar as Diretrizes Curriculares Estaduais; se você é professor, pode analisar as diretrizes curriculares de sua disciplina; se trabalha na diretoria de uma escola, pode analisar o Projeto Político Pedagógico. Se você achar interessante e relevante, pode trazer, ao longo de sua análise, reflexões advindas de experiências profissionais que você obteve anteriormente na área da educação.

Feita a escolha do documento, é hora de analisá-lo. Leia-o na íntegra, ou selecione parte relevante dele, e faça um registro respondendo ao menos às seguintes perguntas. Nesse registro, lembre-se de deixar claro por que você escolheu determinado documento.

1- A pobreza é considerada neste documento? Se não é, por quê?

2- Se a pobreza é considerada, como ela aparece? Quais perspectivas você percebe que predominam: a pobreza como algo a ser erradicado através da educação; a pobreza como um problema nas escolas; a pobreza como algo que vem de fora dos muros da escola etc.? Que trechos do documento fazem você concluir que essa é a abordagem predominante sobre a pobreza? Após os estudos, liste aspectos que você considera positivos.

3- Após analisar a forma como a pobreza encontra-se ou não nos currículos, estenda essa reflexão e procure estabelecer uma relação entre o que você observa no currículo formal (o documento escolhido) e as práticas cotidianas que devem ser regidas por esses currículos. Qual é a distância entre o que se apresenta teoricamente e o que ocorre, de fato, na prática? Aponte o que você considera como causa da distância ou da não distância entre "teoria" e "prática".

Compartilhe sua análise com o(a) professor(a)-tutor(a).

 

3. Elaboração de proposta

A partir da reflexão feita na etapa 1 e da análise realizada na etapa 2, é o momento de produzir algo propositivo. Elabore uma proposta de mudanças no documento analisado e nas práticas educacionais por ele regidas, indicando as possíveis soluções para os problemas encontrados. É importante mostrar as diferenças entre a sua proposta e a já existente, além de deixar clara a preocupação com a questão da pobreza.

Lembre-se de que a ideia não é reelaborar o documento analisado, e sim escrever um texto que inclua ideias de como os materiais e situações analisadas poderiam incluir uma discussão sobre pobreza. Na análise das diretrizes curriculares de uma disciplina escolar específica, por exemplo, deve haver propostas de como incluir nesta disciplina conhecimentos acerca da pobreza ou relevantes para alunos em contextos empobrecidos.

Envie a proposta para o(a) professor(a)-tutor(a).